Terceirização no TI outsourcing

Terceirização no TI: quais suas vantagens

Diante da variedade de formas e da importância de passar dados ao cliente, o serviço de tecnologia da informação tem uma importância estratégica em negócios que desejam ter êxito no ramo que atuam.

Sabendo disso, as instituições preocupam-se cada vez mais em ter uma boa equipe que cuide dessa parte. Porém, elas preferem terceirizar o setor de TI, ao invés de tê-lo como parte fixa em sua folha de pagamento. Veja o que é e quais vantagens este tipo de gestão oferece.

O que é terceirização?

Terceirização, também conhecida como outsourcing, consiste no ato de delegar funções secundárias de sua empresa para outra.

Este modelo de gestão permite, além de outras vantagens, que a instituição concentre-se em sua área de atuação. No Brasil, cerca de 25% das atividades laborais são terceirizadas.

Dessa forma, quando uma empresa terceiriza algum serviço, ela tira do seu core aquilo que não é de extrema importância. Por exemplo, um escritório de advocacia deve focar as suas energias em advogar, não em limpeza; portanto, contratar terceirizadas para higiene do ambiente torna-se uma boa pedida.

Além de tirar de si o que não é fundamental para a sobrevivência do negócio, diminui custos e evita dores de cabeça com processos trabalhistas, férias e outros encargos. Todos ganham. Por esse motivo, a área de TI vem apostando neste modelo.

Outsourcing na TI

Ao terceirizar o setor de TI, além de otimizar as ações de sua companhia, você conta com maior eficácia na manutenção de equipamentos. Profissionais desta área, não somente, trabalham a parte técnica mas ajudam a propiciar ambientes mais favoráveis à inovação.

A área da tecnologia da informação é complexa, novas tecnologias surgem e são atualizadas diariamente. Esse é um dos motivos que fazem este setor necessitar de profissionais especializados em seus diversos segmentos, por exemplo: rede, manutenção de equipamentos, desenvolvedores de softwares. Empresas de outsourcing oferecem equipes que atendam essas demandas, aliviando o trabalho que a instituição contratante teria relacionados a serviço de RH.

Se por ventura, ocorrer problemas jurídicos envolvendo algum funcionário da terceirizada, quem responde é a própria, pois o funcionário mantém vínculos diretos com ela.

Redução de custos

Outro fator que pesa na hora de escolher por este modelo, é o econômico, já que todas as taxas e leis trabalhistas estariam na mão da contratada, tirando da sua responsabilidade de questões como: assistência médica, benefícios de transportes e alimentação, décimo terceiro e o alto salário que muitos desses funcionários demandam.

É sabemos que estes fatores são cruciais na hora de contratar ou não um novo funcionário.

Um pouco de história

A terceirização tem sua origem nos EUA. Com o fim da Segunda Guerra Mundial, as empresas precisavam dedicar-se a suas atividades fim, pois tinham que suprir a demanda que a guerra havia causado e, ao mesmo tempo, os recursos financeiros eram poucos.

No Brasil, o outsourcing começou a se desenvolver na década de 60, com a chegada de grandes indústrias. Estas terceirizam peças, embalagens, logística e diversos outros tipos de serviços.